5 Hábitos que você deve mudar na sua vida financeira

Tempo de leitura: 8 minutos

Seguir a grande massa só te leva até onde a grande massa está. Para estar entre as pessoas de sucesso você precisa de muito mais do que isso

Introdução

Quando nós temos uma rotina, é muito fácil cair na comodidade. Fazer a mesma coisa todos os dias acaba sendo mais fácil e sair da sua zona de conforto pode não ser tão prazeroso, não é mesmo?! Com as finanças, é a mesma coisa. As pessoas que estão acostumadas com determinados hábitos ficam com preguiça de mudá-los e isso pode atrapalhar (e muito!) a vida financeira.

Separamos 5 hábitos que são muito ruins e que você precisa mudar! Vale lembrar que quase nada na vida se altera de uma hora para a outra: é preciso dedicação e vontade de ter mais dinheiro no fim do mês (quem não quer isso?). Ao mudar esses comportamentos, vai ficar muito mais fácil ter controle do seu dinheiro e viver mais tranquilamente.

vida financeira

1. Colocar dinheiro na poupança

Com certeza você já ouviu os seus avós ou os seus pais falando sobre os benefícios da poupança. Isso é uma cultura muito tradicional no Brasil. Mas não é porque é tradicional que é bom, ok?

Nos tempos de hoje, você precisa saber que colocar o dinheiro na poupança é furada – você pode até acabar perdendo o seu dinheiro lá dentro. Isso acontece porque, dependendo de fatores da economia (brasileira e também internacional), o rendimento da poupança pode ficar abaixo da inflação.

Exemplo para entender: você queria comprar uma calça jeans que custava R$ 100,00, mas ao invés de comprá-la, decide colocar essa quantia na poupança. Um ano depois, você conseguiu R$ 10,00 de rendimento e resolve retirar os seus R$ 110,00. Você fica muito feliz, afinal, o seu dinheiro cresceu! Decide voltar à loja e comprar a calça jeans. Quando chega lá, descobre que a calça agora custa R$ 120,00 e seu dinheiro não consegue mais comprá-la.

Ou seja, como o rendimento estava abaixo da inflação, ela “comeu” o seu poder de compra e você saiu no “prejuízo”.

Muita gente continua deixando o dinheiro na poupança por vê-lo crescer e por ser um investimento seguro. O que vale a pena dizer é que existem diversos investimentos MUITO MAIS rentáveis do que a poupança e que têm um risco baixíssimo.

Se você é daqueles que guardam um dinheirinho e já colocam na poupança, é hora de sair dessa! É um hábito que está atrasando a sua vida financeira e que, ao mudá-lo, vai fazer você conhecer novas formas de investir que valem muito mais a pena.

2. Seguir todos os conselhos de amigos

Uma das palavras mais faladas por pessoas especializadas em economia e finanças é “depende”. Isso significa que, nessa área, tudo depende de caso para caso, de perfil para perfil, de objetivo para objetivo e assim por diante.

Não há regra exata no mundo das finanças e o que funcionou para um pode não funcionar para o outro. Ou seja, nada de seguir todos os conselhos dos seus amigos e familiares.

Não nos leve a mal! Não estamos querendo dizer que você não pode conversar sobre esse assunto com as pessoas. Pelo contrário! Ouvir experiências, contar as suas e trocar informações é uma parte muito importante na hora de ter uma vida financeira mais tranquila. O que não pode acontecer é você seguir TODOS os conselhos achando que vai acontecer o mesmo com você.

Por exemplo: seu melhor amigo ganhou muito dinheiro investindo em bitcoin. Uau! Você vai lá, investe em bitcoin, não gosta da experiência e até perde dinheiro. O que aconteceu? Você esqueceu de analisar se bitcoin é uma boa opção para o seu perfil investidor, se vai te ajudar a alcançar seus objetivos e esqueceu de pesquisar mais sobre o assunto. Investiu no impulso do momento!

Isso é um péssimo comportamento! Você precisa descobrir o que é melhor para a SUA vida e, muitas vezes, não importa o que é bom para o seu amigo ou seu pai. Conversar e trocar informações é ótimo. Seguir todas as dicas sem nenhum filtro é um hábito que você precisa mudar!

3. Não fazer um planejamento

Para onde vai o seu dinheiro? Supermercado? Dívidas? Lazer? Se você souber responder essa pergunta, parabéns! Se você não planeja os seus gastos e não tem ideia de como foram os últimos meses (e como serão os próximos), muito possivelmente a sua vida financeira está uma bagunça.

A dica é simples: anote as suas receitas e as duas despesas – pode ser no caderninho, planilha do Excel, aplicativo, onde você quiser – durante todo mês. Pode parecer trabalhoso, mas assim como todos os itens de que estamos falando neste post, é questão de hábito. Depois de alguns meses, isso vai ser tão comum na sua vida que você vai sentir falta se não fizer.

O planejamento vai te ajudar a ver para onde está indo o dinheiro e como você pode economizar dali para frente. Não fazer nenhum tipo de planejamento financeiro é furada! E esse item está totalmente ligado ao próximo, então vamos lá!

4. Gastar sem pensar

Se você vai ao shopping center, entra em uma loja e gosta de algumas roupas, o que você faz? Sai comprando ou diz para a vendedora que vai pensar melhor? Caso você seja da turma do “gostou, comprou”, isso pode ser um problema! Algumas pessoas não dão o devido valor ao dinheiro e saem comprando tudo que veem pela frente.

Esse pessoal do “vive trabalhando para pagar boleto” acha que fazer compras no final de semana compensa a falta de prazer do cotidiano durante toda a semana. Mas e se você pensar em um objetivo maior?

Não estamos dizendo que você tem que poupar, poupar e poupar e não gastar nunca. Esse não é o caso! O ponto é fazer escolhas mais inteligentes na hora de gastar o seu dinheiro – gastando apenas com o que você realmente precisa.

“E o que eu faço com o que sobrar?” Invista! Coloque em uma aplicação, faça seu dinheiro render e, dali a algum tempo, você terá uma quantia maior para realizar seus sonhos (viajar, parar de trabalhar, intercâmbio, comprar um carro…).

Uma dica muito importante nesse tópico é:  pense bem antes de gastar seu dinheiro. Exemplo prático: está muito frio na sua cidade e você decide comprar uma jaqueta de couro. Entrou na loja e adorou um modelo. Pense o seguinte: “Se eu ficar sem essa jaqueta nos próximos sete dias, ela vai me fazer falta?” ou “Ter essa jaqueta é um sonho meu?”, se a resposta for SIM, compre! Se não, o que acha de pensar mais um pouco e rever os seus gastos? Essa jaqueta (que pode chegar a custar algumas centenas ou milhares de reais) pode se tornar um ótimo investimento!

Se você fizer isso antes de comprar, é muito mais garantido que você não vai gastar o seu dinheiro com itens supérfluos e vai sobrar mais dinheiro para investir nos seus sonhos. Gastar sem pensar é, com certeza, um comportamento que você precisa riscar da sua vida!

5. Não se interessar por finanças

“Economia e finanças são assuntos muito chatos”. Essa frase é comum entre os brasileiros. Por ter fama de ser um tema chato e difícil, muitas pessoas não se interessam pelo assunto e veem dinheiro e investimento como tabus.

Como nós do Yubb sempre dizemos: conhecimento é tudo! Se você não tiver informação, muito dificilmente vai conseguir dar o primeiro passo. Justamente por isso que você está lendo esse post no Dicas Financeiras, né? Para se informar e entender mais. Isso já é meio caminho andado. Ler livros também é uma excelente opção.

O mundo financeiro não é nenhum bicho de sete cabeças e você não precisa ser especialista para entender a ponto de tomar boas decisões. Pesquise, assista vídeos, leia artigos… A internet é a sua melhor amiga nesse momento. Ter interesse pelo assunto é muito importante para escolher as melhores opções para o seu bolso.

Conclusão

Agora que você já sabe que esses hábitos não são bons, que tal mudá-los? Pode parecer difícil no começo, mas tudo é uma questão de rotina. Com dedicação e vontade, é possível ter uma vida financeira muito mais tranquila em 2018. Agora confira este eBook aqui!

Débora Duarte

Débora é produtora de conteúdo no Yubb e formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Bernardo Pascowitch

Bernardo é fundador e CEO do Yubb, buscador de investimentos totalmente gratuito para qualquer pessoa encontrar opções para aplicar melhor seu dinheiro. Bernardo é formado em direito pela Universidade de São Paulo (USP).

Anúncios