Cartão de Crédito com ou sem anuidade e Conta Digital com ou sem tarifa: o que é melhor para você

Tempo de leitura: 9 minutos

Descubra aqui quanto você provavelmente está perdendo ou deixando de ganhar

Introdução

Quando começamos a receber um salário ou uma renda, o que acontece é que precisamos ter conta corrente em algum banco não é mesmo?! Você a partir daí abre uma conta em algum dos grandes bancos do país, passa os seus dados para a sua empresa e começa a receber o seu tão sonhado salário.

Você muito provavelmente não sabe nada sobre contas e cartões, apenas aceita o que o banco te oferece. Isso é natural.

Porém o tempo passa e me arrisco a dizer que algo em torno de 90% das pessoas não procura entender como funciona sua conta corrente e seu cartão de crédito. Esquecem que pagam taxas por isso.

Essa falta de conhecimento custa caro no final de um ano.

Digamos que você pague R$ 22,00 de taxa de manutenção de conta e R$ 21,00 de taxa de anuidade do cartão de crédito.

Ao final de 12 meses a conta fica em R$ 516,00! É muito não concorda?! 10 anos de falta de informação e essa conta já vai para R$ 5.160,00!!! E, infelizmente, a grande maioria passa uma vida inteira sem saber disso. Imagina o tamanho da conta!

Isso sem contar o Custo de Oportunidade que, resumidamente, significa o custo de uma oportunidade perdida, que nesse caso seria deixar de investir ao longo do ano essa quantia, o que lhe renderia juros.

Cartão de Crédito com ou sem anuidade?

O cartão de crédito é um excelente instrumento se você sabe como utilizá-lo. Tem gente que opta simplesmente por não ter cartão de crédito. É uma excelente ideia, pois é bem verdade que quase a totalidade dos que usam o cartão o fazem da maneira errada.

Vale muito mais a pena conseguir um desconto de 10% pagando a vista, por exemplo, do que pagar mais caro dividido em 10 vezes.

Se você não tem a quantia necessária para pagar a vista me responda uma pergunta: porque você compra? O cartão de crédito surgiu justamente para isso. Para pagarmos depois acreditando que temos mais dinheiro do que realmente temos. E isso não é nada interessante.

O correto seria poupar para comprar a vista com desconto. Mas inventamos urgência de necessidades que não são realmente urgentes.

Os gastos com cartão de crédito só são interessantes quanto temos algum outro benefício como acúmulo de pontos para trocar por milhas, por exemplo.

É aí que entra a vantagem de pagar anuidade.

Para isso os seus gastos com o cartão devem ser costumeiramente altos, algo em torno de R$ 3.000,00 para cima.

Confira este exemplo

Vamos utilizar um exemplo bastante plausível.

  • Anuidade do cartão de crédito: R$ 20,00 ao mês (R$ 240,00 ao ano)
  • Gastos com o cartão: R$ 3.150,00 (para facilitar os cálculos)
  • Dólar para conversão: R$ 3,15 (as administradoras de cartão não têm um critério definido, algumas se baseiam no dólar comercial, outras no dólar turismo)
  • Conversão em pontos do cartão: a cada 1 dólar, 1 ponto no cartão
  • Conversão de pontos em milhas: a cada 1 ponto no cartão, 1 milha

Convertendo-se os gastos do cartão em pontos, temos: 3.150,00 dividido por 3,15. O que dá 1.000 pontos no cartão ao mês e, consequentemente, 1.000 milhas na hora da troca.

Resultado: com esse gasto no cartão você está pagando R$ 20,00 ao mês por, pelo menos, 1.000 milhas. Falo “pelo menos” porque existem bonificações na conversão de pontos em milhas. O que faz com que você ganhe ainda mais.

Agora, para decidir se é mais interessante comprar uma passagem com milhas ou com dinheiro basta fazer as contas.

Usemos como exemplo uma passagem de R$ 200,00. Se o valor dela em milhas for menor do que 10.000 sairá mais em conta utilizá-las, pois você pagou R$ 20,00 em cada 1.000 milhas.

Veja!

Se essa passagem for 9.000 milhas você terá pago R$ 20,00 x 9.000, ou seja, R$ 180,00. O que, obviamente, é muito mais interessante do que os R$ 200,00 no dinheiro.

Tudo isso foi para te mostrar se, para você, existe benefício em pagar ou não anuidade.

Para conhecer os melhores cartões de crédito para acumular milhas, acesse aqui ranking do site Melhores Destinos.

Se seus gastos com o cartão são menores do que R$ 3.000,00, pense seriamente na possibilidade de adquirir um cartão de crédito sem anuidade.

Veja abaixo uma lista com os principais cartões de crédito isentos de anuidade (clique em cada um para saber mais):

Alguns desses cartões, como o Santander Free, acumulam pontos, porém ainda não achei nenhum cartão isento de anuidade que aceite a troca de pontos por milhas. Caso você conheça algum conte aqui nos comentários.

Caso queira manter o seu cartão de crédito atual por achar que com ele você tem muitos benefícios, tente negociar a sua anuidade.

Veja abaixo dicas para negociar a anuidade do seu cartão. Vá até o gerente do seu banco e utilize os seguintes argumentos:

  • Volume de gastos: mostre que você tem um volume considerável de gastos no cartão (se você não tiver realmente os cartões sem anuidade são feitos para você);
  • Tempo de relacionamento: diga quanto tempo de relacionamento com o banco você tem e que com isso, até hoje, não recebeu nenhum benefício;
  • Encerramento de cartão: avise que você tem conhecimento sobre os cartões de crédito que não cobram anuidade e que, mesmo assim, quer continuar com o atual cartão acreditando que terá sua anuidade diminuída ou extinguida.

Conta Digital com ou sem tarifa?

Assim como na anuidade do cartão, você deverá saber o que a taxa de manutenção da sua conta te dá como direito. Se achar que vale o preço, ok.

Porém, logicamente, só pagamos por aquilo que vale a pena pagar. Com tarifas de banco não pode ser diferente. Mas, como eu já falei aqui, muita gente acaba deixando isso de lado.

Muitos “choram” um desconto menor do que R$ 15,00, por exemplo, mas não tomam atitudes simples para pagar menos com a já citada anuidade do cartão e com contas digitais gratuitas.

Grandes bancos como Banco do Brasil, Itaú e Bradesco chegaram a oferecer contas digitais totalmente gratuitas, porém, hoje em dia, essas contas digitais são pagas.

Outros bancos considerados grandes, mas que talvez você não conheça, ainda disponibilizam contas sem tarifas.

Os principais que posso citar para você são, na minha ordem de preferência, o Banco Inter (antigo Intermedium), Banco Sofisa Direto e Banco Daycoval.

Eu, particularmente, possuo conta nos três e tenho investimentos nos dois primeiros.

O único problema das contas nesses bancos, ao meu ver, é a possibilidade de sacar dinheiro. O Daycoval ainda não permite saques, o Sofisa Direto permite até 2 saques na rede 24h e no Banco Inter os saques na rede 24h são ilimitados.

Se você não quiser deixar de sacar dinheiro nos grandes bancos eu tenho uma estratégia para você.

Primeiro você deve conhecer a Resolução nº 3.919 do Banco Central do Brasil.

O principal ponto dela rege sobre os Serviços Bancários Essenciais que lhe garante, gratuitamente, de QUALQUER banco, pelo menos:

  1. fornecimento de cartão com função débito;
  2. realização de até quatro saques, por mês, em guichê de caixa, inclusive por meio de cheque ou de cheque avulso, ou em terminal de autoatendimento;
  3. realização de até duas transferências de recursos entre contas na própria instituição, por mês, em guichê de caixa, em terminal de autoatendimento e/ou pela internet;
  4. fornecimento de até dois extratos, por mês, contendo a movimentação dos últimos trinta dias por meio de guichê de caixa e/ou de terminal de autoatendimento;
  5. realização de consultas mediante utilização da internet;
  6. fornecimento de até dez folhas de cheques por mês

Os bancos vão te oferecer os pacotes deles que já estão prontos. Não aceite e mostre que você é bem informado e conhece a Resolução nº 3.919. Aconselho, inclusive, a leva-la impressa, pois podem alegar desconhecimento. Acredite!

Então, para a estratégia, você vai ficar com:

  • Uma conta totalmente gratuita aberta em um grande banco, como Itaú, Santander, Banco do Brasil ou Bradesco;
  • Uma conta totalmente gratuita aberta no Banco Inter; e
  • Um cartão de crédito do Banco Inter e de bandeira da MasterCard totalmente isento de anuidade.

Com isso você ainda ficará isento de taxas de DOC/TED nas transferências realizadas entre o Inter e o outro banco escolhido por você. Isso porque o Inter não cobra tais taxas e caso você queira transferir o dinheiro do grande banco para o Inter você pode utilizar a facilidade de gerar um boleto através do Inter e “pagar” com o grande banco. Desse modo você estará pagando uma conta ao invés de transferindo uma quantia. E nenhum banco cobra taxa para pagar boletos.

Conclusão

Percebeu como você pode tomar decisões inteligentes se tiver conhecimento?!

Tomando atitudes aqui sugeridas você terá economizado uma enorme quantia ao final do ano.

Agora lembre que algumas informações aqui contidas podem sofrer alterações com o passar do tempo. E aí você deve, também, pesquisar e se manter informado.