Os 5 passos que eu sigo para fazer meus investimentos em Renda Fixa

Tempo de leitura: 5 minutos

Passo-a-passo prático de como eu faço os meus investimentos em Renda Fixa todos os meses

Introdução

Tudo que você procura para aprender a investir é alguém ou algum artigo que te mostre de modo prático o que fazer não é mesmo? Talvez o ato de fazer um investimento seja pessoal, mas vou te mostrar aqui como eu, Douglas Gonçalves, criador deste blog, faço religiosamente todo dia primeiro de cada mês. Uma observação importante caso você ainda não tenha feito nenhum investimento é que a Renda Fixa é a porta de entrada do investidor iniciante, por isso é sobre esse tipo de investimento que estou falando neste artigo.

Caso queira saber mais sobre o Mercado de Ações, acesse aqui.

Antes de mais nada quero te explicar o porquê de fazer meus investimentos todo dia primeiro. Já expliquei várias vezes por aqui, mas caso ainda não tenha visto, isso chama-se “pagar-se primeiro”, ou seja, pague (invista) a você antes de mais nada. Invista no seu patrimônio antes de pagar suas contas.

Por que não esperar sobrar dinheiro para investir?

Porque muito provavelmente não sobrará! Você deixa o dinheiro na conta e, conforme o tempo passa, você visualiza coisas que pode comprar e serviços que pode utilizar. Estamos imersos em propagandas que querem, a qualquer custo, tirar nosso dinheiro. Propagandas essas que se utilizam, inclusive, de muita persuasão sem que percebamos. Portanto, dinheiro na mão é vendaval!

Se essa ideia para você parece meio complicada, comece com pouco e depois vá aumentando.

Eu invisto todo primeiro dia do mês e, depois, no final do mês, quando visualizo que sobrará algo mais para investir.

Introdução feita, vamos agora aos 5 passos que eu sigo para investir!

Confira!

PASSO 1 – Escolho em qual objetivo se encaixa

Investir demanda objetivo. Sempre que alguém me pergunta qual é o melhor investimento, eu respondo que depende. Mas depende do que? Do seu objetivo. E o objetivo é pessoal. Pode ser que seu objetivo seja de curto, médio ou longo prazo. Pode ser que para cumprir o seu objetivo sejam necessários muitos aportes, talvez sejam necessários poucos.

O que eu faço? Eu escolho um dos objetivos que já tenho programado. Por exemplo, com o objetivo de trocar de carro em um ano, invisto em algum CDB ou LCI que vença perto da data de concretização da compra do carro, ou seja, um ano.

Quando eu não tenho um objetivo com o dinheiro, eu o coloco na Reserva de Emergência, normalmente em um CDB de 100% do CDI com liquidez diária ou o Tesouro Selic.

PASSO 2 – Faço uma pesquisa em algum buscador de investimentos

Já sei quanto quero investir e quando desejo retirar o dinheiro. Agora eu utilizo dois buscadores de investimentos. São os aplicativos “Renda Fixa” e “Yubb” que, inclusive, são dois parceiros aqui do site.

renda fixa
Pesquisa de investimento realizada no aplicativo Renda Fixa – R$ 2.000,00 para 12 meses

Faço a pesquisa, que me dá todos os investimentos de renda fixa disponíveis no aplicativo, e aí vem a próxima análise.

PASSO 3 – Procuro o investimento fazendo a relação risco x rentabilidade x liquidez

Agora analiso cada investimento olhando do mais rentável para o menos rentável. Basta olhar o mais rentável e investir? Não, não é bem assim que eu faço e não é assim que você deve agir.

Eu costumo colocar na balança os três principais fatores antes de escolher qual investimento fazer: risco, rentabilidade e liquidez.

Qual eu dou prioridade? Hoje em dia sou mais propenso ao risco, porém você deve saber antes em que perfil você se encaixa, se é conservador, moderado ou arrojado. Eu prefiro ser arrojado na Renda Fixa do que ser conservador na Renda Variável, ou seja, escolho alguns investimentos de maior risco na Renda Fixa. Invisto, por exemplo, em LC’s e Debêntures.

Tenha em mente sempre que, quanto maior a rentabilidade, maior o risco.

PASSO 4 – Avalio o balanço das instituições

A partir do momento que tenho os investimentos listados em ordem de rentabilidade, avalio, a partir do mais rentável, o balanço da instituição financeira responsável pelo investimento.

Para isso utilizo o Banco Data que, como o próprio site diz, “acompanha os balanços contábeis e ratings das principais instituições bancárias brasileiras de forma simples e fácil”.

O site é bastante simples e intuitivo.

O que eu faço? Entro no site e digito o nome da instituição que escolhi para investir, como no exemplo abaixo.

balanço
Balanço da Facta Financeira

A partir dos dados gerados pelo site, analiso se vale a pena o risco ou se passo para a análise do próximo investimento.

PASSO 5 – Invisto!

Se eu já sei quanto vou investir, sei qual é o prazo que quero deixar o dinheiro investido e sei qual é o risco que estou correndo. Meu próximo passo é investir.

Tudo que falei até aqui não dura mais do que dez minutos.

Conclusão

Tudo que mostrei e expliquei aqui foi para que você tivesse uma boa noção de como é o passo-a-passo para fazer um investimento. Porém, não esqueça que quem vai definir que investimento escolher e com base em que vai fazer isso é unicamente você. Eu não posso dizer qual é o melhor investimento para você. Acredito que isso tenha ficado bem claro.

Em último caso, como sempre falo, se está em dúvida ainda de qual é o investimento ideal para quem quer começar a investir, uma das melhores opções é o Tesouro Selic, modalidade mais conservadora do Tesouro Direto. Com mais conhecimento, aos poucos, você melhorará os seus investimentos.

Caso queira investir a partir de R$ 30,00 acesse “Aprenda, de uma vez por todas, a investir no Tesouro Direto”.

Caso queira investir com segurança com R$ 1,00 acesse “Como investir com apenas 1 real”.

Anúncios