Os maiores erros que um investidor iniciante comete sem perceber

Tempo de leitura: 3 minutos

Alguns erros são tão comuns que fica difícil um investidor iniciante perceber sozinho

Introdução

A Educação Financeira no Brasil não é das melhores e isso contribui e muito para que o brasileiro, de um modo geral, invista somente na Poupança. Temos mais pessoas buscando enriquecer da noite para o dia do que pessoas que buscam crescer consistentemente no médio e longo prazos. Muitas não querem adquirir conhecimento e ficam em busca de oportunidades que nunca aparecem ou que “aparecem” e não dão em nada.

A construção de um patrimônio, por exemplo, passa por investimentos de longo prazo e alguns erros muitas vezes são imperdoáveis pelo ponto de vista do mercado financeiro. Inclusive por esse motivo é tão difícil passar de uma classe social para outra.

“Por que a desigualdade financeira só aumenta e o que fazer para mudar isso?”.

Veja agora alguns erros comuns de investidores iniciantes e de pessoas que querem começar a investir.

Acreditar que para investir é necessário muito dinheiro

Muitos esperam ter dinheiro para começar a investir, enquanto que o correto é investir para ter dinheiro. É possível investir bem com apenas um real, ou seja, você não pode continuar usando isso como desculpa.

No Tesouro Direto é possível investir com valores a partir de R$ 30,00. Quem ainda não começou a investir pode até pensar que um real e trinta reais são valores pequenos, mas o principal é investir, é a mentalidade investidora que adquirimos mesmo investindo valores baixos.

Uma jornada de mil quilômetros começa com um simples passo. Lembre-se sempre disso!

Achar que, quanto menor o risco, melhor

A palavra “risco” já trás em si algo de negativo, mas não é bem assim.

O risco deve ser um aliado do investidor

Risco e rentabilidade são inversamente proporcionais. É o natural, não adianta pensar diferente que isso não vai acontecer, é quase uma lei. E é nesse ponto que alguns investidores iniciantes pecam. Eles têm medo de arriscar um pouco mais, mesmo que de forma controlada. Assim abrem mão da rentabilidade. Ele acredita que a Poupança é o investimento mais seguro do mercado. Até certo ponto até é, mas existem milhares de investimentos com o mesmo risco e maior rentabilidade. Um CDB emitido pelo banco A e a Poupança do banco A, por exemplo, têm o mesmo risco, que no caso está atrelado ao banco, que é o mesmo. A comodidade e a popularidade da Poupança dão essa falsa impressão.

poupança

Quando o investidor descobre as varias ferramentas disponíveis no mercado ele consegue se “blindar” de certos riscos ou, pelo menos, correr riscos controlados.

Acreditar que só deve olhar a rentabilidade

A rentabilidade é, de fato, o que devemos, como investidores, buscar. Disso não há dúvidas. Porém, se só olhássemos a rentabilidade na hora de investir, bastava um investimento no mercado (o mais rentável). Afinal, para que investir nos demais.

O mercado está sempre em movimento. Um banco ou instituição financeira cresce, outra diminui de tamanho. Um banco tem prejuízo em determinado mês enquanto outro, de menor porte, vem acumulando seguidos lucros. Enfim, uma série de fatores mensuráveis influenciam no risco e na rentabilidade de um investimento. A busca deve ser pelo equilíbrio e em consonância com o objetivo do investidor. Assim é garantia de sucesso nos investimentos.

Conclusão

No fim, para investir bem, precisamos de um mínimo de estudo e conhecimento e é nessa linha que o investidor iniciante pode  começar a investir com pouco dinheiro. A prática nos ensina muito mais rápido que a teoria, mas não esqueça de sempre buscar conhecimentos financeiros.

Sua saúde financeira agradece!

Anúncios