Regra 50 30 20: utilize para organizar de vez as suas finanças

Regra 50 30 20: utilize para organizar de vez as suas finanças

Tempo de leitura: 5 minutos

A regra 50 30 20 é um jeito simples e eficiente de colocar as finanças em dia

Introdução

Certamente, para muitos, organizar as finanças não é uma tarefa fácil. Mas, neste artigo, vou te mostrar como organizar de vez as suas finanças com a regra 50 30 20 pode ser mais simples do que você imagina. Por meio desse método será muito mais fácil conhecer e categorizar os seus gastos e, como resultado, manter a sua vida financeira organizada.

Organizar as finanças vai além de ter um planejamento para conseguir manter as suas contas em dia. Seu orçamento também deve elencar quais são as suas prioridades financeiras e demonstrar o quanto você gasta em cada categoria de despesas. Assim, fica muito mais fácil manter as contas em dia e se planejar para realizar aquele velho sonho.

Organize de vez suas finanças com a regra 50 30 20

Contas essenciais (50%)

50% dos seus rendimentos devem ser reservados para o pagamento das despesas fixas relacionadas a sua sobrevivência, ou seja, para os seus gastos essenciais como: aluguel, água, luz, gás, telefone, alimentação, transporte e outros.

É importante entender que o valor desse tipo de despesa varia de acordo com o seu estilo de vida, portanto, é importante que o total não ultrapasse metade da sua renda. Assim, desse modo, você irá evitar futuras dores de cabeça.

Mas, se isso acontecer, significa que você está vivendo um padrão de vida que está fora das suas possibilidades, logo é importante fazer alguns ajustes, uma vez que é provável que você esteja adotando um estilo de vida que está fora da sua realidade financeira. Então, vamos acender uma luz vermelha, pois há sinal de alerta!

Contas pessoais (30%)

30% da sua renda deve ser usada para gastos variáveis, ou seja, tudo que você compra, mas não precisa necessariamente.

Nesta categoria você deve incluir os gastos que te deixam mais feliz, mas tenha cuidado, pois essa é uma área responsável pelo descontrole financeiro de muitos brasileiros. Então, muita atenção com os gastos com as contas variáveis!

Esses gastos podem fazer com que você descontrole as suas finanças. Porém, vamos assumir que sem eles a vida fica um pouco sem graça não é mesmo?! Faça mais do que te faz feliz!

Aqui eu quero sugerir que você anote as coisas que te fazem mais feliz e não abra mão. Isso fará com que você permaneça firme na sua organização financeira com a regra 50 30 20.

A orientação é: manter as contas em dia e com um bom planejamento para você alcançar os seus objetivos.

Poupança ou pagamento de dívidas (20%)

Por fim, os 20% restantes dos seus rendimentos devem ser reservados para que você atinja os seus objetivos financeiros, ou seja, para suas economias, investimentos ou para pagar as suas dívidas.

Aqui, podemos destacar o financiamento do seu imóvel, o financiamento do seu carro, as mensalidades da sua faculdade, empréstimos, entre outros.

Uma observação importante: esse valor deve ser reservado assim que você pagar todas as suas despesas essenciais e antes de começar a gastar com os seus desejos pessoais.

Para você organizar de vez as suas finanças com a regra 50 30 20, essa é a categoria onde você pode ser mais flexível para mais. Mas atenção, você não deve poupar menos do que 20% da sua renda, mas, se puder, pode guardar mais do que isso, entre 25 e 30%.

regra 50 30 20

Essa regra para organizar o seu orçamento é bastante eficiente se você segui-la de forma adequada. Ela irá ajudar você a, por exemplo, alcançar sua independência financeira. Portanto, disciplina e paciência é fundamental! Nessas horas a ansiedade só irá atrapalhar!

Mas você pode estar se perguntando: Como vou aplicar a regra 50 30 20 no meu orçamento?

Primeiro passo: calcular a sua renda depois de todos os descontos

Descubra qual é a sua renda líquida mensal, ou seja, o valor que sobra do seu salário depois que você desconta todos os descontos, taxas bancárias, impostos, seguros, etc.

Aqui muitas pessoas se perdem por não saber qual a entrada de dinheiro no seu próprio orçamento.

Segundo passo: limitar as necessidades a 50%

Agora você deverá revisar o seu orçamento, observando o quanto você tem gastado para suprir as suas necessidades. Confesso que essa área é tentadora, mas como disse acima, mantenha a disciplina porque tenho certeza que valerá a pena.

E como eu disse, você não deve gastar mais do que a metade da sua renda para cobrir esse tipo de gasto.

Compreender o que é ou não uma necessidade ajuda bastante, pois o que é necessidade para um não é para outro.

Gastos que afetam sua qualidade de vida severamente, como água, luz e medicamentos, são necessidades. Já gastos com itens que não sejam vitais, como uma roupa nova ou a tv a cabo, não são.

Terceiro passo: limite a 30% os gastos pessoais

As suas necessidades foram esclarecidas acima, assim, dentro dos seus gastos com desejos pessoais, você deve incluir itens como o seu plano de telefonia e internet, alguns cosméticos e até um celular novo.

Muitas vezes, você pretende comprar alguma coisa que à primeira vista parece uma necessidade, mas se você pensar um pouco sobre, vai perceber que se trata de um desejo.

[Infográfico] As 5 fases da Decisão de Compra e o que fazer para reduzir o espírito consumista

Quarto passo: reserve 20% para poupança ou para pagar suas dívidas

Por fim, pelo menos 20% da sua renda deve ser usado para quitar dívidas ou serem usados em investimentos para criar uma reserva de emergência, investimento para a sua aposentadoria ou para alcançar um objetivo.

Conclusão

No artigo de hoje você aprendeu como utilizar a regra 50 30 20 para organizar o seu orçamento, alinhando os seus gastos aos seus objetivos financeiros.

Espero que esse artigo tenha sido útil e se foi, compartilhe com mais pessoas e não esqueça de me seguir nas redes Sociais.

Um abraço e até o próximo artigo!

Anúncios