Renda Fixa ou Renda Variável: qual é a melhor?

Tempo de leitura: 7 minutos

Qual é o melhor investimento: em Renda Fixa ou em Renda Variável

Introdução

Os investimentos são divididos em dois grandes grupos: renda fixa e renda variável. De um lado, segurança. Do outro, rentabilidade. Muita gente já ouviu falar nesses nomes, mas não tem ideia de qual é a diferença entre os dois.

E, além de não saber a diferença, também não tem ideia de qual escolher na hora de investir o dinheiro. E aí? Qual é a melhor? Renda fixa ou renda variável? Façam as suas apostas!

Veja!

renda fixa ou renda variável

A diferença

Para começar, é importante entender qual é a diferença entre as duas (que é, com certeza, muito mais simples do que parece!). Vale dizer que “renda” é a remuneração que você vai receber por aquele investimento, ou seja, é o rendimento que você vai ganhar a mais por ter aplicado o dinheiro.

Renda Fixa

Em renda fixa, o investimento é um empréstimo. Você empresta dinheiro ao banco para que ele possa emprestar para outras pessoas. Mas ele não pega a sua grana de graça, né? Ele precisa te dar um bônus por isso – que é o rendimento (a renda).

É essa renda que é fixa. Importante dizer que os preços dos ativos (produtos de investimento) sempre vão oscilar, tanto em renda fixa quanto em renda variável, mas o que muda é a remuneração. Em ativos de renda fixa, você “sabe” quanto vai receber no futuro.

É claro que, como os preços oscilam, o mercado pode mudar e você pode receber um pouco mais ou um pouco a menos do que ficou acordado no início, mas você sempre sabe a variação de quanto vai receber: X% do CDI, por exemplo. A taxa do CDI vai mudando, mas você sabe que vai ganhar essa porcentagem.

Renda Variável

Na renda variável, a história é outra. Você se torna sócio ou participante de um negócio e a sua remuneração vem do lucro daquele negócio. No caso das ações, por exemplo, se a empresa está indo mal, você não vai receber nenhuma remuneração – talvez até perca dinheiro. Por esse motivo, você nunca sabe qual será a sua renda: ela é variável.

Por serem mais arriscados e não terem nenhuma garantia, os investimentos em renda variável costumam ter uma rentabilidade mais alta. Enquanto os ativos em renda fixa “pagam” menos, mas trazem mais segurança.

Quer entender, enfim, como funciona o mercado de ações, acesse aqui.

Exemplos de produtos:

Renda fixa pública: Tesouro Direto – garantido pelo Tesouro Nacional;

Renda fixa privada: CDB, RDB, LCI, LCA, LC, entre outros – garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC);

Renda variável: ações da bolsa de valores, bitcoin, COE, crowdfunding, robôs, etc – sem garantia nenhuma.

O seu perfil

Nos investimentos, existe uma palavrinha que é muito importante: perfil. De modo geral, existem três perfis principais e eles têm total relação com a diferença entre renda fixa e renda variável.

O primeiro é o perfil conservador. Quem é conservador, faz de tudo para conservar o seu dinheiro e a prioridade é sempre a segurança do investimento. Essa é aquela pessoa que tem aversão a risco. Ou seja, prefere investimentos que sejam mais seguros, com pouco risco, mesmo que isso signifique menos rentabilidade.

No outro extremo, existe o perfil arrojado (ou agressivo). É o contrário do conservador: é aquela pessoa que prioriza a rentabilidade, mesmo se isso exigir entrar em um investimento com um nível maior de risco. Ele está até disposto a “perder” dinheiro em alguns momentos para que tenha um bom rendimento no futuro.

No meio termo está o perfil moderado. Essa pessoa não é tão conservadora e nem tão arrojada. Está disposta a assumir alguns riscos, mas não muitos. Busca uma boa rentabilidade, mas também preza pela segurança.

E aí, qual é o seu perfil investidor? Com qual dos três você se identifica mais: conservador, moderado ou arrojado?

Como escolher

Infelizmente, não existe resposta certa para a pergunta “Qual é a melhor: renda fixa ou renda variável?”. Assim como tudo no mundo dos investimentos, a resposta depende de caso para caso – de pessoa para pessoa. Portanto, é você quem precisa responder “Qual é a melhor NO SEU CASO?”.

A escolha entre a renda fixa e a renda variável tem tudo a ver com o seu perfil investidor. A renda fixa é um investimento mais simples e mais seguro e é mais indicada para os investidores com perfil conservador.

A renda variável engloba aqueles investimentos mais arriscados, mas que podem trazer uma rentabilidade mais alta. Ou seja, são mais indicados para os investidores com perfil arrojado.

Na hora de escolher entre renda fixa e variável, você precisa definir o seu perfil investidor. Consequentemente, a partir disso, pode ver qual se encaixa mais de acordo com a sua personalidade nos investimentos.

Objetivo

Também é muito importante pensar em qual é o seu objetivo naquele momento. Por exemplo: no geral, você é um investidor super agressivo e gosta de investir em renda variável, mas você precisa separar um dinheiro para pagar a escola da sua filha. Como é uma quantia que você não pode perder de jeito nenhum, coloca o dinheiro em um investimento bem seguro de renda fixa.

Resumindo: defina o seu perfil investidor e mescle com o seu objetivo financeiro. A partir daí, é bem mais fácil definir se vai investir em renda fixa ou renda variável.

Diversificar é importante

Durante todo este post, conversamos sobre a importância em saber diferenciar a renda fixa da renda variável para poder escolher onde aplicar o seu dinheiro. Mas é muito importante saber que os seus investimentos não devem ficar todos em um só lugar.

Diversificar os seus investimentos é um fator essencial para ter um bom portfólio e conseguir um bom retorno. Sabe aquela história de nunca colocar todos os ovos na mesma cesta? Então!

Se você guardou um pouquinho naquele mês, vale ler esse post e decidir se vai investí-lo em renda fixa ou renda variável. No entanto, depois de um tempo como investidor, naturalmente você já vai ter guardado mais dinheiro e começará a investir cada vez mais. É a partir daí que você precisa diversificar os seus investimentos.

Se você for conservador, por exemplo, pode colocar 80% do seu dinheiro em renda fixa (Tesouro Direto e produtos bancários) e 20% em ações da bolsa de valores, que é renda variável. Dessa forma, o seu dinheiro está em mais de um lugar e isso pode ser seguro e rentável.

Outro caso possível: você pode definir três objetivos para a sua vida. Um de curto prazo (reserva de emergência), um de médio prazo (comprar um carro) e um de longo prazo (aposentar). Para cada um desses objetivos, você vai escolher um tipo de investimento – seja renda fixa ou variável – de forma que o seu portfólio esteja completo com um pouco de cada tipo.

Conclusão

Diversificar é muito importante! Um bom investidor sabe em que cesta colocar os seus ovos e sabe que não existe regra na hora de escolher entre renda fixa ou variável. O que existe é aquilo que é melhor para a SUA vida financeira.

E quer saber a melhor notícia? No Yubb, um buscador de investimentos online e gratuito, nós mostramos as melhores opções em renda fixa e em renda variável para você escolher com tranquilidade =)

Agora que você já sabe como funciona a Renda Variável, que tal investir nas maiores empresas do Brasil e, de quebra, receber parte do lucro gerado por elas. Isso tudo é possível graças aos dividendos. Entenda mais.

 

Débora Duarte

Débora é produtora de conteúdo no Yubb e formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Bernardo Pascowitch

Bernardo é fundador e CEO do Yubb, buscador de investimentos totalmente gratuito para qualquer pessoa encontrar opções para aplicar melhor seu dinheiro. Bernardo é formado em direito pela Universidade de São Paulo (USP).

Anúncios